Textos


FIMT: Histórico

Em 03 de julho de 2009 foi realizada a primeira edição do FIMT, Festival de Inverno Marcelo Torca, que anos mais tarde, por indicação de Airton da Costa Soares, foi incluído a palavra "Internacional". Hoje é denominado FIMT: Festival de Inverno Internacional Marcelo Torca.

Relembrando as publicações do ano de 2009:

Em julho de 2009 acontecerá em Pauliceia, Brasil a primeira edição do Festival de Inverno Marcelo Torca. Aguardem!

Um espaço garantido para a Música Clássica, esta primeira edição está apoiando compositores, arranjadores e intérpretes garantido apresentações públicas na sala MACRISAN. As apresentações musicais ocorrerão em 03 de julho de 2009, às 20:00 horas.

A Música Clássica necessita de renovação, necessita de espaços para novos talentos e novos sons, assim como precisa garantir a memória daquilo que já foi realizado. Ese festival tem a finalidade de abrir espaços, dar liberdade aos novos sons musicais e valorizar compositores, arranjadores e intérpretes da Música Clássica.
As partituras significam uma forma de comunicação e transmissão de conhecimento e técnica da música, há importância em escrever músicas e arranjos, deixando-os registrados em partituras, assim as novas gerações terão oportunidade de estudar e apreciar sobre momentos acontcidos. Expor partituras é importante também para este festival, pois é uma forma de apresentar novas ideias e ideais.

É fundamental que o músico de hoje escreva partituras, isso significa conseguir manter a música viva. Tocar a música ao vivo é outra forma de conquistar públicos diferentes e mostrar com detalhes a maneira da execução, com esta mentalidade este Festival de Inverno abre espaço para apresentações musicais da Música Clássica, ajudando a divulgar a música tocada e a música escrita.
Com a internet é muito rápido enviar uma música para qualquer parte do mundo, mas aidna não é tão fácil qualquer pessoa viajar por qualquer parte do mundo, talvez algum dia seja possível viajar como os e-mails, mas no momento isso não é possível. Apresentar a partitura neste festival é levar ao conhecimento de público, compositores distantes da cidade do evento, essa é uma boa vantagem.

A música no inverno soa bem, é aconchegante e primorosa. O inverno de Pauliceia, Brasil não é tão rigoroso, permitindo ficar mais confortável, isso é uma vantagem pois as mãos dos músicos não dão tanto trabalho para aquecer, isso facilita o desenvolvimento musical.
A Música de Câmara fica mais forte, o espaço é adequado a esta formação, é um lugar propício para o desenvolvemento e audição das obras musicais de Câmara, onde pode-se também interagir com o público.

Hoje há a necessidade de fazer música para ver e ouvir, o vídeo é uma realidade que não pode ser negada, algo diferente do tempo de Johann S. Bach e Vivaldi, onde para se ouvir uma música era necessário saber tocar ou ir ao teatro ou igreja, em apresentações musicais não havia tanto apelo ao visual, tanto que é comum na Música Clássica estar bem vestido e se preocupar mais com a técnica a ser executada. Isso está mudando, tanto que já há vídeos com interpretações de orquestras onde há uma preocupação em trabalhar a linguagem visual.
É um campo a ser explorado, já que um vídeo não consegue substituir uma apresentação ao vivo, uma linguagem visual compensa essa ausência. Neste festival, há uma abertura para a divulgação de vídeos de Música Clássica, também abre espaço para declamação de poesias com fundo musical de Música Clássica.
A linguagem musical não pode ficar restrita ao som, como também é necessário fazer parcerias com outras artes, assim consegue atingir um público maior e de várias tendências, contribuindo com ideias e criatividade, fortalecendo caminhos diversos e amplos.

Uma relação estável e duradoura, material para óperas e canções até mesmo de Música Clássica, a Poesia ocupa um importante espaço no Festival de Inverno. Serão expostos trabalhos poéticos e literários neste evento que se realizará em 03 de julho de 2009, onde este espaço estará proporcionando um contato entre artes parceiras.

É fundamental escrever partitura para a preservação das músicas, assim como um livro, a partitura estimula o pensamento, estimula procurar mais amplamente como deveria ser a interpretação de um determinado compositor. Divulgar a partitura é uma consequência de um trabalho musical, é preciso ter espaços para fazer amostragem e um sistema de facilidade de aquisição de partituras.
Hoje em dia fazer um livro em papel de partitura possui um custo alto e pouco retorno financeiro, mas é possível digitalizar a partitura e deixar que o usuário imprima o que ai ser utilizado, assim o preço cai, pois o mais caro é a impressão em papel. Sendo a partitura digitalizada, vai facilitar para as empresas de xérox a fazerem cópias legalizadas, podendo as mesmas imprimir via internet e pagando no mesmo sistema de compra de créditos de celular. As partituras distribuídas gratuitamente poderiam ser realizadas cópias sem ter o problema de ser ilegal. Considero um crime grave fazer cópias de livros sem autorização e sem pagar por isso, também considero uma falha grave dos Governos deixarem isso acontecer, xérox apenas de partituras legalizadas!
Venha participar da Segunda Edição do Festival de Inverno Marcelo Torca e divulgue trabalhos musicais e as devidas partituras.


 
Marcelo Torca
Enviado por Marcelo Torca em 02/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Marcelo Torca, www.marcelotorca.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários